Fórum Pacto Global

Fórum Pacto Global é sucesso com debates sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 2030

pactoglobal-ecod.jpg

O primeiro Fórum Pacto Global superou as expectativas da Rede Brasil do Pacto Global. Foram mais de 400 espectadores que assistiram a oito painéis temáticos sobre como o setor privado deve trabalhar para implementar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e cumprir as metas da Agenda 2030. O evento teve participação de representantes de empresas signatárias e não signatárias, governo federal e estaduais, além de parceiros e interessados no assunto. O Fórum criou um ambiente de compartilhamento de experiências e networking entre todos os públicos.

“O evento superou as nossas expectativas e posicionou a Rede Brasil do Pacto Global como referência e protagonista nos ODS no País. O Fórum teve amplo debate sobre esses temas e mostrou que somos o grande interlocutor do setor privado, governo e sociedade civil na longa jornada para adoção dos ODS e da Agenda 2030 das Nações Unidas”, afirma André Oliveira, presidente da Rede Brasil do Pacto Global.

Entre os 17 ODS, ficou claro que alguns são mais urgentes em sua adoção, como o 2 (Fome zero e agricultura sustentável), 5 (Igualdade de gênero), 6 (Água potável e saneamento), 7 (Energia limpa e sustentável), 8 (Trabalho decente e crescimento econômico), 10 (Redução das desigualdades), 11 (Cidades e comunidades sustentáveis), 13 (Ação contra a mudança global do clima), 15 (Vida terrestre), 16 (Paz, justiça e instituições eficazes) e o 17 (Parcerias e meios de implementação).

Para a secretária executiva da Rede Brasil do Pacto Global, Beatriz Martins Carneiro, o Fórum foi uma ótima oportunidade para debate da Agenda 2030 das Nações Unidas e dos ODS. “No evento, conseguimos mostrar às empresas ferramentas para que elas se engajem no atingimento desses objetivos. O nosso público foi o melhor possível, com representantes do setor privado e do governo. Por fim, entendo que conseguimos uma troca de experiências muito rica.”

Confira os painéis do primeiro Fórum Pacto Global:

Abertura: André Oliveira (Rede Brasil do Pacto Global), Ursula Wynehoven (United Nations Global Compact), Edson Duarte (Governo Federal) e Jean Phillippe Bernardini (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD Brasil) deram início ao fórum. 

Painel – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Da Teoria à Pratica: Luca Criscioti (Presidente da DNV GL Business Assurance) e Denise Hills (Itaú) apresentaram resultados de estudo sobre a contribuição de empresas que compõem o Comitê Brasileiro do Pacto Global.

Empreendendo no Contexto das Metas Globais: apresentação sobre empreendedorismo, com Marcela Zonis (Endeavor Brasil).

Painel – Liderança para 2030: As temáticas de liderança, com os presidentes Bernardo Paiva (Ambev), Teresa Vernaglia (AES Eletropaulo) e Paulo Stark (Siemens Brasil).

Painel – Objetivos Globais, Negócios Locais – SDG Pioneers: Apresentação de boas práticas, desafios e aprendizados na implementação dos ODS em empresas, com a presença dos SDG Pioneers Ulisses Sabará (Beraca) e Sonia Favaretto (BM&F Bovespa).

Painel – Lançamento do CEO Water Mandate no Brasil: Lançamento de plataformas relacionadas à diminuição de perdas quanto a recursos hídricos (CEO Water Mandate e www.saveh.com.br).

Painel – Integridade – Desafios e Oportunidades no Combate à Corrupção: O Painel de Integridade, com moderação de Reynaldo Goto (Siemens), trouxe Bruno Brandão (Transparência Brasil), o professor e ex-ministro-chefe da Controladoria-Geral da União Jorge Hage e Ursula Wynhoven (United Nations Global Compact). Destacou-se a necessidade de atividades de compliance por parte das empresas, bem como reformas no financiamento de campanhas eleitorais e na organização de partidos para combater a corrupção nos espaços privado e público, respectivamente. 

Painel – Meio Ambiente – Agricultor na Era das Mudanças Climáticas: Com moderação de Juliana Lopes (Amaggi), o painel de Meio Ambiente trouxe o Secretário Adjunto de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Antonio Velloso, a diretora do World Resources Institute no Brasil, Rachel Biderman e a diretora de assuntos corporativos na Dow Brasil, Marilene Iamauti. O secretário convidou empresas a visitar a Secretaria do Meio Ambiente. Já Rachel reforçou que, no mundo atual, polarizações, como entre agronegócio e ambientalistas, não funcionam. Destacou-se a necessidade de integração dos diversos setores no debate.

Painel – Direitos Humanos – Proteger, Respeitar e Remediar: No painel de Direitos Humanos, Marcia Massotti apresentou as políticas de empresa da Enel no Brasil. Sobre o assunto, Eva Dengler (Childhood Brasil) advogou a necessidade de se atentar para a erradicação do trabalho infantil e Leonardo Sakamoto (Repórter Brasil) trouxe a importância da fiscalização sobre o setor público e privado acerca do trabalho escravo.

Painel – Caminhos para implementar a agenda 2030: Sob moderação de Luciana Aguiar, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD Brasil, Margaret Groff trouxe as atividades que a Itaipu Binacional vem realizando. Rúbia Quintão (Presidência da República) destacou a criação da Comissão Nacional dos ODS por parte do governo e Tatiana Assali (Principles for Responsible Investment – PRI) relembrou a necessidade do trabalho coletivo para atingirmos os ODS.

Encerramento: A secretária executiva Beatriz Martins Carneiro fez o encerramento do evento destacando parcerias, diálogo e inclusão das PMEs, responsabilidade de todos para realização da Agenda 2030 e o diálogo com políticas públicas como principais eixos do evento. Por fim, chamou a banda Mazeej para encerrar o evento.

Fonte: EcoD