Dia Mundial da Limpeza marcado por ato na Lagoa da Pampulha

Na manhã do último sábado (15), o movimento ECOS, todos os alunos, professores, coordenadores e diretores participantes do Projeto Socioambiental 2018, além dos estudantes da Dom Helder Escola de Direito e da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), participaram de uma ação ambiental.

A proposta da ação foi a de limpar a Orla da Lagoa da Pampulha, patrimônio de Belo Horizonte, como forma de conscientização do dia e sustentabilidade.

O coordenador do Movimento Ecos, Francisco Haas, salientou a importância de trazer o movimento mundial da limpeza à Belo Horizonte: “A adesão do Movimento Ecos ao Dia Mundial da Limpeza é um ato simbólico de juntos podermos mudar a nossa postura em relação ao convívio mais sustentável entre o homem e a natureza – viver equilibradamente para que as gerações futuras tenham um planeta viável”.

De acordo com a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), são recolhidos entre cinco e seis toneladas de lixo por dia no local. Nos finais de semana, o número pode chegar a 10 toneladas.

O professor Francisco iniciou o evento com sua palavra: “Nos reunimos hoje para fazermos o grande ato de um ambiente equilibrado, sustentável e limpo.”

Em seguida, Carolina, organizadora do movimento mundial da limpeza, ficou com as considerações: “Muito obrigada pela presença de vocês, estou extremamente emocionada e muito feliz. Vamos nos unir, vamos compartilhar esse movimento, as informações, a necessidade de passar para a população sobre a grande importância da reciclagem. Precisamos preservar o meio ambiente”.

Carolina ainda criou um grito de guerra e os participantes, empolgados, entoaram junto: “Lixo no chão? Não!”.

O professor José Cláudio prosseguiu com as suas considerações: “Esta é uma experiência maravilhosa que estamos vivendo, de demonstrar para toda a população a importância desse ato. A reflexão que precisamos fazer é de que o lixo que está no chão é responsabilidade de todos nós”.

Participantes do projeto ECOS, alunos da Escola Madre Carmelita, moradores da Lagoa e componentes do movimento mundial da limpeza começaram o ato na orla da Lagoa, e, em poucos minutos, entulhos e mais entulhos de lixo haviam sido coletados.

Ao final do evento, a pesagem apontou que mais de 200 Kg de lixo haviam sido coletados em menos de uma hora.

O ato instituiu mais uma data importantíssima para o meio ambiente e para o movimento ECOS.

ECOS