Confraternização encerra o Movimento Ecos de 2019 com muito entusiasmo


Mais um ano se encerra com o sentimento de dever cumprido. Nesta quarta-feira (11), foi realizada a confraternização dos ganhadores das atividades do Movimento Ecos 2019. Estiveram presentes os alunos das Equipes Ecos das E. E. Guimarães Rosa, E. E. Dr. Lucas Monteiro Machado, E. E. Geraldo Jardim Linhares e E. E. Caio Nelson de Sena, além dos professores orientadores, nucleadores e a coordenação do movimento.

Alegres com o reconhecimento do trabalho, os alunos conheceram o Campus III, da Dom Helder Escola de Direito e Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), apoiadoras do projeto.

Francisco Haas, coordenador geral do Ecos, traduz a confraternização como um momento de “comemoração diante das conquistas dos alunos”. Ao fazer um balanço do projeto em 2019, classificou como um ano “de muito trabalho, aprendizado e conquistas”.

Junto ao Movimento Ecos, os alunos conseguiram arrecadar mais de 200 toneladas de lixo reciclado, reduzir 35% do consumo de água em relação a 2018 e uma redução para 0,6 Kwh/mês por pessoa. Tudo isso gerou uma economia de R$ 150 mil. Além disso, devido ao trabalho desenvolvido nas escolas públicas de Belo Horizonte e Região Metropolitana, o Ecos recebeu o prêmio de Cidadania Metropolitana da RMBH em 2019.

Veja também:

Caminhada Ecológica e premiação

Vale lembrar que no dia 22 de novembro foi realizada a Caminhada Ecológica do Movimento Ecos, que precede o grande encerramento do projeto. Com trajeto saindo da Praça Raul Soares, passando pela Av. Olegário Maciel até a Praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a caminhada reuniu mais de 20 mil pessoas entre alunos e cidadãos belo-horizontinos.

Já na Praça Carlos Chagas, no anfiteatro da ALMG, foram realizadas as finais do Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom e Concurso de Dança EcoDom revelando os grandes ganhadores. Confira abaixo a classificação:

Concurso de Dança EcoDom

1º lugar: E. E. Guimarães Rosa

2º lugar: E. E. Padre João Botelho

3º lugar: E. E. Carmo Giffoni

4º lugar: E. E. Caio Nelson de Sena

5º lugar: E. E. General Carneiro

 

Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom

1º lugar Garota: Beatriz Alves Dias Santos – E. E. Caio Nelson de Sena

1º lugar Garoto: Felipe Santos Chagas – E. E. Caio Nelson de Sena

2º lugar Garota: Mariana Eugência de Castro Santos – Colégio Tiradentes – Unidade Contagem

2º lugar Garoto: André Tavares Viana – Colégio Tiradentes – Unidade Contagem

3º lugar Garota: Helena de Freitas Monteiro – Colégio Tiradentes – Unidade Argentino Madeiro

3º lugar Garoto: Miguel Rute dos Santos Barbosa – E. E. Professor Clóvis Salgado

4º lugar Garota: Karine Ferreira da Silva – E. E. Professor Clóvis Salgado

4º lugar Garoto: Augusto Alves Pinto de Paula Batista – E. E. Doutor Lucas Monteiro Machado

5º lugar Garota: Juliana de Aquino Corrêa de Oliveira – E. E. Doutor Lucas Monteiro Machado

5º lugar Garoto: Pedro Paulo Carvalho de Souza – Colégio Tiradentes – Unidade Argentino Madeiro

Também foram reveladas as 12 escolas com melhor Pegada Ambiental em 2019. São elas: E.E. Bolivar Tinoco Mineiro, E.E. Coronel Adelino Castelo Branco, E.E. Domingas Maria de Almeida, E.E. General Carneiro, E.E. Imperatriz Pimenta, E.E. Manoel Martins de Melo, E.E. Maria Floripes Nascimento Alves, E.E. Mendes Pimentel, E.E. Professor João de Arruda Pinto, E.E. Professora Alaíde Lisboa de Oliveira e Cesec Clemente de Faria.

E a grande campeã do dia, ganhadora do Projeto Socioambiental 2019, foi a E. E. Guimarães Rosa. A professora orientadora da escola, Ana Cláudia Cardoso, contou que a instituição participa do movimento desde 2018, ressaltando o constante aprendizado por parte dos alunos. “Foram ganhos muito grandes para a escola em vários sentidos, não só ambientais, mas físicos e disciplinares também. Houve mudanças de postura, de hábitos por parte dos alunos, não só daqueles que fizeram parte da Equipe EcoDom, mas da escola como um todo. Nós percebemos que toda a escola está se atentando mais às questões ambientais”, diz.

Premiação

Os alunos vencedores dos concursos e professores orientadores foram premiados durante o churrasco de confraternização com um smartphone. Além disso, os ganhadores da Pegada Ambiental também receberam uma viagem ao arquipélago de Fernando de Noronha (PE).

Beatriz Alves, do terceiro ano do ensino médio da E. E. Caio Nelson de Sena, também futura aluna do Direito Integral da Dom Helder, agradeceu a oportunidade de participar do Movimento Ecos 2019, e disse que o projeto foi muito importante para o amadurecimento dos alunos. Segundo ela, foi uma experiência diferente. Em nome da escola, declara: Nós batalhamos bastante, porque sabíamos que era uma oportunidade real de entrar em uma instituição de ensino superior. Nós só temos a agradecer ao Movimento Ecos e à Dom Helder e EMGE pela oportunidade”.

Bárbara Teixeira – Equipe EcoDom

EcoDom 2019: A excelência de um projeto que deu certo


Por Elmo Júlio de Miranda e Souza

Seria impossível descrever o Movimento EcoDom desse ano devido à sua complexidade, extensão e objetivos atingidos. Entretanto, pode-se citar, em um quadro geral, a satisfação com os trabalhos, dinâmicas e organização, que culminaram em uma grande final.

Foi um ano difícil para todos e em todos os âmbitos, inclusive na educação, mas que a coordenação do Movimento EcoDom e seus parceiros somaram esforços para dar um sentido real, concreto e satisfatório ao projeto em prol da causa ambiental. As atividades programadas, os eventos, o projeto socioambiental, bem como a Caminhada Ecológica foram cumpridos com sucesso. Com o tema “Em defesa das Minas Gerais”, a caminhada encerrou as atividades do projeto com chave de ouro.

Em avaliação, pode-se concluir que foram desempenhados belíssimos trabalhos e projetos no interior e entorno das escolas, levando consciência ambiental à comunidade escolar e aprendizados sistemáticos aos alunos e professores das escolas públicas de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

O lixo que está deixando de ser lixo…

Nos projetos entregues pelas Equipes EcoDom, pudemos perceber mudanças de paradigmas e interpretações distintas sobre os resíduos e sobras em geral. Hoje, o que era descartado foi transformado pela arte e criatividade dos nossos jovens, transformando volumes de materiais, que seriam indevidamente lançados ao ambiente, em artesanatos, objetos utilitários e até obras de arte.

O papel vai deixando de ser bolinha de cesto em sala de aula…

O processo de descarte e conscientização sobre o papel foi implantado e levou a mudanças profundas no dia a dia da comunidade escolar. Com maior consciência sobre a utilização desse material, que muitas vezes é desperdiçado e descartado irregularmente, os alunos recolheram toneladas de papel para reciclagem.

Várias escolas, além de efetivar oficinas de aprendizagem sobre o papel, juntamente com seus alunos, passaram também a organizar pilhas de papel – como livros didáticos ultrapassados e vários tipos de papel e papelão, que eram guardados indevidamente nos arquivos de escolas ­–­ para ter destino correto. Para os jovens estudantes, a experiência com propostas de reutilização fez surgir maior conscientização sobre essa matéria prima.

Um trânsito melhor, através da cooperação e participação de todos…

O Movimento Ecos levou assessoria às escolas, de maneira que todos pudessem auxiliar para um trânsito melhor e mais seguro no entorno da escola. Vários projetos foram desenvolvidos no sentido de melhorar questões como o emplacamento local nos cruzamentos e a questão do respeito em transitar nas vias, tanto para pedestres quanto motoristas. As escolas contaram com a ajuda das Equipes Ecos para observar, registrar e agir sobre fatores que perturbam o bom trânsito no entorno das escolas.

Áreas que antes eram apenas chão, explodem verdes em produção…

Inicialmente, se observava vários locais sem utilização no espaço escolar, solo laminado, ressequido e sem qualquer importância. Após a visita do Ecos nas escolas, muita coisa mudou.

Por meio de reuniões e oficinas, as equipes passaram a ter conhecimento maior do que poderia ser feito naqueles terrenos para elaboração de hortas, jardins e revitalização essas áreas. Hoje, as escolas estão colhendo hortaliças orgânicas e de excelente qualidade para incrementar a merenda escolar, além de tornar os espaços das escolas mais bonitos e sombreados.

A consciência sobre água e energia…

Essas modalidades esse ano foram recordes de sucesso nos objetivos desejados, pois além da elaboração de projetos para estas categorias, houve o reforço da Pegada Ambiental que impulsionou processos que pudessem diminuir o volume diário e mensal do consumo de água e energia.

Foram realizadas ações muito bem orientadas para conduzir e efetivar o controle do consumo e os gastos, que muitas vezes eram altos devido ao desperdício e maneiras indevidas de consumo. Além disso, foram desenvolvidos métodos de reaproveitamento da água e o alerta sobre a relação da água que corre em nossos rios e que em grande parte são base de fornecimento de energia.

Esse foi o nosso Movimento Ecos 2019, que levantou uma bandeira de todas as cores: as cores do alerta, do cuidado, respeito e do compromisso com planeta melhor. Estava evidente a alegria das escolas presentes na caminhada que representava o encerramento do projeto desse ano, levando um ar de esperança para o próximo ano.

Mais de 10 mil estudantes, professores, educadores e pessoas comuns abrilhantaram a Caminhada Ecológica 2019 deixando um gostinho de quero mais.

Ano que vem voltamos com mais entusiasmo e várias novidades. Contamos com a sua participação. Juntos Podemos!

Edição – Equipe EcoDom

Vote e ajude o EcoDom a ganhar o prêmio Cidadania Metropolitana


Votação pela internet fica aberta até segunda-feira (25) (Reprodução)

O Movimento EcoDom, desenvolvido pela Escola de Direito Dom Helder e pela  Escola de Engenharia EMGE, concorre ao prêmio Cidadania Metropolitana – Sociedade Civil, que será entregue na abertura da VII Conferência Metropolitana da RMBH, no dia 28 de novembro. A iniciativa premia entidades públicas e privadas, órgãos públicos, universidades, movimentos sociais, dentre outras organizações que contribuam para a consolidação de um pacto metropolitano na Região Metropolitana de Belo Horizonte – RMBH.

A escolha dos vencedores é feita por meio de voto popular online, neste link. O prazo termina nesta segunda-feira (25). Cada eleitor terá direito a apenas um voto, o que será ratificado pelo e-mail cadastrado. Na eventualidade do registro de votos além do permitido, será considerada apenas a primeira opção.

O Movimento EcoDom conta com a participação de 150 escolas da rede pública de educação de Minas Gerais, em convênio com a Secretaria de Estado da Educação. Nessa sexta-feira (23), o projeto encerrou os trabalhos de 2019 com uma caminhada na região Central de Belo Horizonte que reuniu mais de 20 mil estudantes. Somente neste ano, o EdoDom chegou a mais de um milhão de pessoas.

Leia também:

Colhendo os frutos da sustentabilidade nas escolas


Por Thiago Loures

O mês de outubro foi marcado por dois principais eventos: o envio da quinta tarefa das escolas, no Movimento EcoDom, e o vestibular para a distribuição de bolsas de estudos decorrentes deste maravilhoso projeto de extensão.

Com o envio da quinta tarefa, notam-se resultados incríveis nas escolas que acompanho. Presenciei resultados como: troca de torneiras normais por torneiras inteligentes, pensando na redução do consumo de água; surgimento de hortas, fruto do cuidado e do trabalho dos próprios alunos; sistemas de irrigação automatizados para garantir longevidade para as plantações; hortas verticais em escolas que não dispunham de espaço para hortas tradicionais; sistema de captação de água da chuva; reciclagem de papeis para diminuir o consumo da escola; pintura de muros das escolas com grafites desenvolvidos pelos próprios alunos ou com mensagens inspiradoras e motivacionais; troca de lâmpadas normais por lâmpadas que consomem menos; instalação de placas para geração de energia solar; pintura de quadras, dentre outras.

E tudo isso sem contar o principal, que é o crescente sentimento de pertencimento do aluno na escola pública onde estuda, tendo a noção de que deve cuidar do meio ambiente em que está inserido, não apenas por si, mas por toda a comunidade escolar.

No vestibular da Dom Helder Escola de Direito, para os cursos de Direito e Direito Integral, e da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), para os cursos de Engenharia Civil e Ciências da Computação, vemos a transformação de sonhos em realidade com a distribuição das bolsas de estudo do projeto. Os alunos das escolas parceiras do EcoDom puderam participar do processo seletivo, que distribuiu centenas de bolsas de estudo. As escolas puderam optar se aplicariam as provas da EMGE nas escolas ou na sede da instituição, já as da Dom Helder só puderam ser feitas na própria faculdade.

Para se ter uma ideia da relevância dessas bolsas de estudo, elas levam os alunos da rede pública para faculdades de excelência no mercado. A Dom Helder, por exemplo, é uma faculdade de excelência em Direito, com nota máxima na avaliação institucional do MEC na avaliação do curso e ainda com nota máxima no ENADE, exame que mede o desempenho dos seus alunos. Além disso, tem um dos melhores índices do país, entre as instituições privadas, de aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil.

Toda essa engrenagem de transformação social não seria possível sem um elemento essencial: os bolsistas do projeto EcoDom. Em um passado não muito distante, eles eram alunos da rede pública, participando do EcoDom, e atualmente, estão cursando o nível superior e têm que acompanhar uma escola ao longo do curso, tornando o projeto cada vez mais sustentável. Nossos bolsistas foram às escolas divulgar o vestibular (veja as foto abaixo) e ainda realizaram a aplicação das provas nas escolas, sendo a ponte para um futuro profissional com ensino superior que tenha extrema noção de consciência socioambiental.

Em novembro, os ecos do movimento EcoDom continuam movimentando todo o estado de Minas Gerais com a Caminhada Ecológica 2019, no dia 22. No mesmo dia também acontece a grande final do EcoDom com apresentações e premiações dos Concursos de Dança com as cinco equipes finalistas; desfile dos finalistas do Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom; resultado e premiação do Projeto Socioambiental e da Pegada Ambiental, e o Mutirão de Limpeza EcoDom para limpeza da praça. E tudo isso ao som da banda cover Jovem Legião Urbana. E como não poderia ser diferente, uma coisa é certa: juntos, podemos!

Edição – Equipe EcoDom

Diretores das escolas parceiras do Movimento EcoDom participam de um dia de confraternização


Muita conversa, troca de experiências, sol, piscina e o famoso churrasco gaúcho dos coordenadores do Movimento EcoDom marcaram o dia de confraternização dos diretores das escolas parceiras do movimento. Realizado no sábado, 9 de novembro, o encontro contou com a presença maciça dos representantes das instituições de ensino.

Nos mesmo moldes do churrasco dos professores orientadores do EcoDom, realizado em junho deste ano, o encontro dos diretores também ocorreu na Unidade III da Dom Helder e EMGE, localizada em Casa Branca, Brumadinho.

O encontro arrancou uma série de elogios ao sítio e aos idealizadores do evento, os coordenadores do projeto Francisco Haas e Luiz Chaves. Os professores nucleadores também foram alvo destes elogios, sendo eles os grandes responsáveis pela reunião dos representantes das escolas.

Além de servir como um dia off para os diretores, o encontro permitiu a troca de experiência entre eles, como também a organização de questões relacionadas à Caminhada Ecológica 2019, que será realizada no dia 22 de novembro, às 8h.

Ainda sobre a caminhada, faltam menos de duas semanas para que ela aconteça juntamente com a grande final do Movimento EcoDom. Vale lembrar que, no dia 22, serão revelados os ganhadores do Projeto Socioambiental, da Pegada Ambiental e dos Concursos Garota e Garoto EcoDom e de Dança EcoDom, e a data do grande Encontro Festivo do Movimento EcoDom.

Bárbara Teixeira – Equipe EcoDom

Movimento EcoDom realiza último encontro de formação com bolsistas


Após um ano de muito empenho e dedicação, está chegando a hora de encerrar os trabalhos com a Caminhada Ecológica 2019. E, para que saia tudo bem, o movimento conta com a colaboração dos bolsistas junto às escolas parceiras. Nos dias 4 e 5 de novembro, foram realizados os últimos encontros de formação deste ano, especificamente para deliberações sobre a caminhada.

Os encontros contaram com a presença dos nucleadores, cada um no seu dia, e de um convidado especial: Marco Piquini, responsável pela comunicação externa do EcoDom. O convidado levou algumas palavras de motivação aos bolsistas, que muito têm a aprender com o trabalho realizado no projeto.

Vale lembrar que o bolsista, aluno da Dom Helder Escola de Direito ou Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), é a peça-chave que liga o movimento às escolas. É com a colaboração deles que as equipes conseguem elaborar seus trabalhos, tarefas e atividades relacionadas ao EcoDom. Sem a presença destes alunos nas escolas, com certeza o projeto não seria o mesmo.

É por este motivo que a última formação foi dedicada à capacitação dos bolsistas para com a caminhada. Eles devem estar informados e preparados para ajudar as escolas antes, durante e depois do evento, não os deixando na mão. Dessa maneira, repassar informações e realizar os itens necessários para a participação da escola na caminhada é essencial. (Veja o edital e a tarefa da Caminhada Ecológica na plataforma do Movimento EcoDom).

Além disso, a participação efetiva do bolsista no projeto garante a ele a permanência da sua bolsa de estudos na Dom Helder e EMGE, bem como um grande aprendizado sobre a relação com o outro, uma vez que nos dias de hoje, cada vez mais automatizado, as relações humanas estão sendo um diferencial.

Portanto, após muito trabalho, o Movimento EcoDom agradece a colaboração dos bolsistas e deseja que todos permaneçam no projeto em 2020. A Caminhada Ecológica encerra o ano premiando todos que se destacaram no movimento com ajuda destes estudantes.

A caminhada acontece no dia 22 de novembro, às 9h, com concentração a partir das 7h30 na Praça Raul Soares. O cortejo sairá da praça e irá percorrer a Av. Olegário Maciel até a Praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, onde acontecerão as finais do Projeto Socioambiental, Pegada Ambiental, Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom e Festival de Dança EcoDom.

Bárbara Teixeira – Equipe EcoDom

Os percursos de uma caminhada contínua em prol da sustentabilidade do planeta


Por Elmo Júlio de Miranda

O encerramento do Movimento EcoDom 2019 está bem próximo, mas a nossa jornada é contínua. Enfrentamos muitas lutas para alcançarmos transformações positivas. A parceria da escola pública com o movimento gera grande expectativa para a construção de um projeto de educação ambiental que se processa em várias ações e atividades. O percurso para a conclusão dos projetos contou com muita perseverança, compromisso e criatividade de centenas de jovens que integraram as equipes EcoDom das escolas juntamente com o corpo docente.

Já é possível ver todas essas transformações, os ganhos socioambientais, desde o espaço físico inovado nas escolas, bem como as novas posturas adquiridas em um processo de aprendizado e de conscientização com as múltiplas relações dos grupos culturais.

As tarefas concluem as propostas coletivas do EcoDom e dos projetos nas escolas, porém, a trajetória repassa por outras atividades que gratificam a própria educação, os jovens discentes e o corpo docente e modifica a estrutura dos padrões de ensino e o exercício da educação ambiental, contribuindo para a extensão do ensino-aprendizagem.

Notadamente as avaliações finais não serão muito fáceis. Para este ano, observa-se as diversidades dos projetos nas escolas, com muita complexidade e criatividade nos trabalhos e ações das equipes.

PARABÉNS A TODOS DESDE JÁ!!!

Mesmo antes dos resultados finais dos projetos das escolas e dos editais autônomos, tais como o Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom, o Festival de Dança EcoDom e a Pegada Ambiental, nota-se que as escolas já não são mais as mesmas. Os valores de toda trajetória percorrida estão impregnados entre o movimento e os professores, alunos e colaboradores em geral.

É perceptível a felicidade e unidade que o movimento traduz em grandes trabalhos e esforços coletivos, reunidos com o propósito de salvar a natureza e o planeta. Isso, para nós, já é um resultado muito positivo.

O EcoDom e a grandeza de um rio, que segue seu percurso…. Uma prosopopeia feliz…

Eu, professor Elmo Júlio, fico irradiado com todo esse trabalho em conjunto, pois desde 2011 vi o movimento brotar nas escolas e, como todo rio que se forma de nascentes, com certeza vejo a importância dessas escolas como se fossem as primeiras águas vivas que tornarão esse rio caudaloso e perene. O EcoDom, como se fosse um rio, que percorre, irriga e contribui com a existência da educação ambiental nas escolas públicas, rio esse, que desce os planaltos, enfrenta obstáculos, mas impetuosamente luta no caminho de  seu curso, reúne pessoas comprometidas e que nas margens, lança seus sedimentos de sabedoria.

Edição – Equipe EcoDom

Alunos do Movimento EcoDom realizam vestibular da Dom Helder e EMGE


Foto: Patrícia Almada

Após um ano recheado de tarefas e atividades, estamos chegando à reta final do Movimento EcoDom 2019. Dos dias 23 a 26 de outubro, os alunos das escolas parceiras do projeto puderam realizar as provas de vestibular para os cursos de Direito e Direito Integral, oferecidos pela Dom Helder Escola de Direito e Engenharia Civil e Ciência da Computação, ministrados pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE).

Algumas novidades marcaram esta edição: as escolas parceiras tiveram um prazo para realização do vestibular da EMGE na própria instituição para evitar deslocamento. Além disso, as inscrições eram gratuitas e puderam ser feitas durante a final do Campeonato Estadual de Matemática (CEM), no dia 5 de outubro, e do Tribunal Internacional Estudantil (TRI-e), neste sábado (26).

As escolas que optaram por realizar o vestibular na própria instituição, fizeram as provas durante a manhã dos dias 23, 24 e 25. Já os alunos que realizaram as provas na sede da Dom Helder e EMGE, fizeram a partir das 14h, no dia 26.

A estudante Vitória Viana, que cursa o 3º ano na Escola Estadual Castelo Branco, parceira do EcoDom, prestou o vestibular para Engenharia Civil na própria escola e compareceu neste sábado (26) para disputar uma das vagas do curso de Direito da Dom Helder. E se for aprovada em ambos? “Vou para a EMGE, cursar Engenharia Civil”, afirmou Vitória sem hesitar. A estudante, que adora matemática, tem grande interesse e curiosidade port construções. “Fico olhando e pensando: como estes prédios enormes permanecem em pé? Fora isso, me apaixonei pela EMGE, desde a primeira vez que estive aqui. Acredito que a faculdade irá me impulsionar. O ensino é muito bom, assim como a nota no Ministério da Educação (MEC)”, contou.

Quem também se candidatou para ambas instituições é o estudante Gabriel Araújo, da Escola Estadual Caio Nelson de Senna. Só que, ao contrário de Vitória, ele optará pelo Direito Integral da Dom Helder, caso ocorra a dupla aprovação. “Participo do EcoDom, enviamos representantes para o festival de dança, para o CEM. Fiquei sabendo do conceito máximo obtido no Enade, o que me deixa ainda mais motivado”, afirmou Gabriel Araújo.

Centro Socioeducativo de Belo Horizonte

Pela primeira vez, a Escola Estadual Jovem Protagonista, membro do complexo socioeducativo de Belo Horizonte e parceira do Movimento EcoDom, realizou um processo seletivo de uma instituição particular dentro da escola. Na última sexta-feira (25), cerca de 20 alunos, de quatro unidades do complexo, realizaram o vestibular da EMGE. No sábado (26), dois alunos também tiveram liberação para fazer as provas para os cursos de Direito e Direito Integral na sede da Dom Helder.

A professora nucleadora do EcoDom na escola, Michelle Piancastelli Richard, declarou, muito emocionada, sobre a oportunidade oferecida pela Dom Helder e EMGE. “Fiquei muito feliz com os meninos realizando o vestibular. É impossível descrever a felicidade deles com essa oportunidade. Não tinha imaginado que seria tão produtivo e proveitoso para eles”. A professora agradece os coordenadores pela chance e diz que pretende ampliar a parceria com o Movimento EcoDom. “Ano que vem esperamos incluir todos os nossos alunos do ensino médio para abrirmos novas portas e dar a eles novas perspectivas”.

Provas e bolsas

O processo seletivo da Dom Helder constou de uma redação e de questões de múltipla escolha de Língua Portuguesa e Literatura. Para o Direito Integral, foram aplicadas também questões de História, Matemática, Geografia e Língua Estrangeira. Os candidatos da EMGE, por sua vez, realizaram prova de redação e questões de múltipla escolha de Língua Portuguesa, Matemática, Física e Química.

Os alunos das equipes EcoDom e das escolas parceiras do movimento poderão concorrer a bolsas de estudo de até 100% nos cursos da Dom Helder e EMGE (confira o edital abaixo). Além disso, os alunos que participaram do CEM também podem concorrer às bolsas de estudos disponibilizadas pela EMGE, nos cursos de Engenharia Civil e Ciência da Computação (confira o edital abaixo).

Para a professora Anacélia Santos Rocha, pró-reitora de Ensino da Dom Helder e da EMGE, o Vestibular 2020/1º superou todas as expectativas. “Foi muito bonito ver os candidatos chegando, alguns ansiosos, mesmo que tenham se preparado, outros bastante animados. A escola colocou toda a sua estrutura para acolher os estudantes e também seus pais e acompanhantes. Muitos optaram por esperar os candidatos, e puderam assistir documentários e filmes no auditório, havia cadeiras, água e cafezinho no hall de entrada. Foi um ótimo vestibular, desejamos sucesso a todos”, afirmou Anacélia, que integra a comissão organizadora do processo seletivo.

O coordenador-geral do Movimento EcoDom, Francisco Haas, comemorou a grande adesão dos alunos ao processo seletivo. “O vestibular da Dom Helder e EMGE foi sucesso!  Quase todas as escolas parceiras do movimento aderiram. Desejo muita sorte a todos, e que no ano que vem, possamos fazer um trabalho ainda maior junto ao EcoDom”, diz.

Resultado e matrícula

O resultado do Vestibular 2020/1º será divulgado dia 30 de outubro de 2019, a partir das 14h, nas páginas da Dom Helder e EMGE. A matrícula dos classificados deverá ser feita nos dias 1º e 4 de novembro, conforme os horários estabelecidos nos editais. Confira mais informações nas páginas da Dom Helder e da EMGE:

Vestibular 2020/1º – Dom Helder

Vestibular 2020/1º – EMGE

Bárbara Teixeira e Patrícia Azevedo

EcoDom semeando esperança!


Por Livia Maria Cruz Gonçalves de Souza

O EcoDom está próximo de encerrar as atividades de 2019 com a Caminhada Ecológica no dia 22 de novembro. Fazendo uma retrospectiva do início até agora, percebe-se que cada equipe EcoDom trabalhou, dentro de suas possibilidades, para que o projeto se desenvolvesse da melhor maneira possível.

Não há dúvida! Todos, de uma forma geral, alunos, professores orientadores, diretores, vice-diretores, funcionários, colaboradores, professores nucleadores, bolsistas e coordenadores abraçaram o projeto e ajudaram a espalhar as sementes do EcoDom. Não é por acaso que nosso lema é “juntos podemos”!

Realmente, quando todos se unem em prol de um objetivo, resultados positivos são colhidos e frustrações, ultrapassadas. Juntos podemos pensar uma nova forma de viver o ambiente escolar, juntos podemos transformar vidas, juntos podemos modificar hábitos, juntos podemos achar solução para um problema que individualmente era impossível ser resolvido, juntos podemos levar esperança para aqueles que estão desestimulados, juntos podemos tornar a vida mais leve, juntos podemos disseminar alegria, juntos podemos fazer do mundo um lugar melhor.

O Movimento EcoDom propõe desde o início um olhar reflexivo e ao mesmo tempo crítico sobre a escola, sobre a educação ambiental, sobre o meio ambiente e os impactos da ação humana na natureza. É com esse pensamento que se disseminam as sementes da renovação, da transformação e da sustentabilidade, sem perder de vista que as ações que todos praticam em conjunto hoje frutificarão nas próximas equipes EcoDom.

Que venha a caminhada e que a plantação continue!

Mascarados

Cora Coralina

Saiu o Semeador a semear

Semeou o dia todo

e a noite o apanhou ainda

com as mãos cheias de sementes.

Ele semeava tranquilo

sem pensar na colheita

porque muito tinha colhido

do que outros semearam.

Jovem, seja você esse semeador

Semeia com otimismo

Semeia com idealismo

as sementes vivas

da Paz e da Justiça.

Edição – Equipe EcoDom

Dizem que Minas não tem mar…


Por Willio Campos

O Brasil tem um território de 8.514.876 quilômetros quadrados. Sua extensão litoral conta com um total de 7.367 quilômetros, banhados pelo Oceano Atlântico. Minas Gerais, por estar no centro do território, assim como outros tantos estados federados, não possui um centímetro sequer banhado pelo oceano. Mas engana-se quem diz que Minas não tem mar.

Se apegarmos a um conceito de que mar é uma grande quantidade de água salgada que banha a maior parte do nosso planeta, realmente Minas não tem mar.

Mas, quando tratamos de linguagem e comunicação, a coisa não funciona bem assim. A linguagem humana não possui característica binária pré-constituída, ou seja, “é ou não é”.

Como sistema complexo de comunicação, a linguagem humana representa um universo extremamente diversificado de significação para um mesmo símbolo. Tomamos como exemplo uma simples imagem presente no cotidiano: manga. Uma fruta, uma parte de uma roupa, ou mesmo um verbo, são variações significativas de um mesmo tema.

Há ainda uma certa vagueza, que também se coloca como prejuízo de compreensão. Ainda que consideremos manga como fruta, essa mesma palavra tem capacidade de representar todas as mangas do mundo? Certamente não. Já que, no universo das frutas, há tipos de mangas diferentes. Quem visita um hortifrúti, sabe bem: manga espada, manga tommy, manga haden, manga palmer e assim vai…

Palavras são sinais (signos) que apresentam significações diferentes. A comunicação e a linguagem não se limitam ao posicionamento de signos em uma frase (o que se diz), mas vai além. Há o lado semântico (o que se quer dizer) e pragmático (porque se quer dizer) que compõem, de modo muito equalizado, o que se comunica.

“Uma chuva que cai do céu” (o que se diz) pode representar muito mais do que a informação física de evaporação da água, sua condensação em nuvens e a precipitação de gotas. Afinal, toda chuva cai do céu.

“Uma chuva que cai do céu” no sertão árido brasileiro, no foco de uma queimada ou em um calor escaldante, tem significado de um presente, uma dádiva (o que se quer dizer) por representar uma necessidade às exigências do momento ou do lugar (porque se quer dizer).

Se significados distintos valem para manga ou chuva, por que não valeriam para mar?

Um mar de transformação foi instalado pela onda que o EcoDom causou.

Transborda ações e emoções no cotidiano de cada escola, dando um ressignificado às coisas. O lixo se transforma em luxo, bastando o olhar artístico que cada escola se esforçou em ter para desenhar um novo vestuário para a Concurso de Fotografia Garota e Garoto Ecodom. O óleo usado se transforma em recurso, aumenta o caixa da escola, financia melhoramentos e transformações. O que se desperdiçava, como um pouco de água de um bebedouro, passa a ser captado e reutilizado nas necessidades emergentes.

Um mar de ações foi realizado pela onda que o EcoDom causou.

A ação transforma o espaço e as relações. Mudam-se os hábitos. Mudam-se as culturas. Mudam-se os significados. Descarte e desperdício dão lugar à reciclagem e à consciência sustentável, evidenciando que a escola é espaço de formação e transformação humana de jovens e adultos.

Um mar de esperança é criado, pela onda que o EcoDom causou.

O despertar de uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional também é efeito dessa onda, já que o EcoDom oferece aos seus integrantes a oportunidade de continuar seus estudos em faculdade de ponta, que tem como meta a excelência em tudo que faz.

As inscrições estão chegando ao fim e o vestibular já se aproxima, mas sabemos que o projeto ainda não, pois ainda temos a 5ª tarefa em aberto e as finais artísticas da Dança EcoDom e do Concurso de Fotografia Garota e Garoto EcoDom, sem falar na grande Caminhada Ecológica.

Nessa caminhada, a onda será contagiante, pois, como falava um grande compositor dessas terras de mar de montanhas: um mais um é sempre mais que dois.

Sim, Minas tem mar. Um mar de excelência. Sabemos que, quando queremos, conseguimos mudar muita coisa.

Sim! O EcoDom é um mar e, juntos, podemos!

Edição – Equipe EcoDom